Review de Slasher

Há algumas semanas comecei a ver a série Slasher, que não faz muito tempo que disponibilizaram na Netflix. Depois de ter visto Stranger Things, fiquei carente de mais uma série curta de suspense. Como Slasher tinha a Kate McGrath, que eu já conhecia e simpatizava, de Merlin e Labyrinthe, acabei aderindo à série.

Como o próprio nome já diz, o enredo trata de assassinatos misteriosos realizados por um mascarado, no estilo Pânico. A história se inicia há mais ou menos trinta anos atrás, numa noite de Halloween, quando os pais de Sarah Benet (Mc Grath)  são mortos por um serial killer, sendo que sua mãe,  ainda grávida, implora para que o assassino preserve a vida do bebê, e ele cumpre o pedido da mulher da maneira mais sórdida.

Nos dias atuais, Sarah volta à cidade em que nasceu, com o seu marido Dylan (Brandon Jay McLaren)  tentando resgatar o que aconteceu no passado. Ao mesmo tempo, passa a visitar o assassino de seus pais, que já está na prisão.

No entanto, desde sua chegada na cidade, os crimes voltam a acontecer por um serial também mascarado, que só vamos descobrir a identidade no último capítulo. Com ajuda de Tom Winston (Patrick Garrow), o assassino original, Sarah começa a ligar os crimes aos pecados capitais das vítimas. Nesse ponto, além da influência da saga Scream, vimos aqui uma ligação com o filme Seven (1995).

Basicamente a cada capítulo alguém é assassinado pelo “Executioner”, e antes de sua morte, é mostrado um passado podre das vitimas para “justificar” seus atos e não nos apegarmos tanto a elas. Nesse meio, estão o rico casal gay amigos de Sarah, a louca da cidade cuja filha desapareceu, o próprio marido de Sarah com seu passado misterioso e sua ambição na carreira de jornalista, a vizinha carola do casal (essa posso até descartar, um SPOILER é que a megera já é eliminada no primeiro capítulo),  a avó da Sarah, a jornalista chefe de Dylan, o pessoal da polícia…E à medida em que um antipático  vai sendo eliminado, outro começa a parecer suspeito, até começarmos a deduzir quem pode ser o Executioner.

Acredito que a série cumpre o que promete, então acabei dando cinco estrelas na avaliação da Netflix. Não vou entrar no mérito de discutir atuações, apenas o enredo mesmo e a qualidade visual. O fato de ter o suspense, curta duração de capítulos, e visual limpo e claro acabou me prendendo. Por eliminação vai ficando fácil deduzir quem é o criminoso, confesso que a partir da quarta morte e história das vitimas, comecei a ter meus suspeitos, e se eu apostasse com alguém, teria ganhado, o que de fato me deixou satisfeita com o final. No entanto, recomendo assistir a temporada 1 até o fim para ter a certeza de quem é, e a explicação para os novos crimes.

Ouvi falar de uma segunda temporada, e o último capítulo realmente deixa um gancho para tal. Só não sei se com os mesmos atores, já que passaram a limpa em quase todo o elenco.

Ano da série : 2016 (o ano Slasher da história)

País : Canadá

Minha nota: 4.5, queria explicações mais plausiveis sobre o porquê da pessoa ter virado assassina.